Entre nós: pequenas revoluções – Amani Institute

Blog

Entre nós: pequenas revoluções

Com a palavra Manuela Alcoforada, aluna da Formação em Impacto Social (FIS) em 2017:

Eu cheguei ao Amani por acaso – ou por sorte, como eu gosto de pensar. No início de 2017, minha vida estava de cabeça pra baixo. Eu estava em um momento pessoal e profissional bastante desafiador. Sou publicitária de formação e não estava feliz na agência onde eu trabalhava. Sentia que precisava de algo maior, que me trouxesse um propósito na minha vida.

Um dia, conversando com uma antiga colega de trabalho, comentei com ela sobre a minha vontade de trabalhar com algo mais significativo. Ela me falou do Amani, e que as inscrições para a Formação em Impacto Social (FIS) estavam abertas, um curso voltado exatamente para abrir a mente das pessoas que estão querendo trabalhar em algo com mais impacto na sociedade. Fiquei muito feliz com a novidade e senti que era “alinhamento dos astros”. As inscrições já estavam encerrando, quando, mais por intuição do que por instinto, decidi me matricular.

E posso afirmar: foi um divisor de águas na minha vida.

Comecei a conhecer mais sobre quem eu era, como eu poderia impactar o mundo no meu próprio ambiente de trabalho, e que eu não precisaria necessariamente empreender para fazer isso. Na FIS, fiz muitos amigos que carrego até hoje; inclusive dividi apartamento com uma amiga que conheci durante o curso. Somos pessoas bem diferentes, mas com um objetivo em comum: se conhecer melhor e dar o seu melhor para o mundo.

Além disso, durante o curso, muitas revoluções aconteceram dentro e fora de mim. Decidi sair do emprego que não estava me fazendo bem e fiquei trabalhando como freelancer para projetos estratégicos na área de comunicação. Nesse caminho, comecei a trabalhar em uma consultoria de comunicação que apoia marcas e organizações na identificação e gestão de causas. Essa experiência mudou a forma como eu me relaciono com o trabalho e com a minha entrega profissional. Percebi que muito do que eu sou se reflete no meu trabalho.

A formação me deu a chance de olhar para dentro para depois reconhecer o que posso fazer fora no mundo. Foi realmente um processo de cura, muito bonito! Depois que me formei no Amani, revi minha questão profissional, e tive a oportunidade de fazer um processo de coaching com a Tamiris Melo, amiga que também fiz no Amani.Durante o processo, tive um insight: meu propósito é ajudar mulheres a se conectarem, se conhecerem melhor e se transformarem a partir disso para buscarem relações mais equilibradas consigo mesmas e com os outros.

A partir daí, dei vida ao meu projeto pessoal que se chama entrenós (@olaentrenos), um espaço de autocuidado feminino. Uma ideia que já acontecia informalmente, com reuniões entre amigas onde a gente discutia questões como autoestima, bem estar, saúde mental, sempre num caráter informal de trocar conhecimentos para crescermos juntas.

Hoje, concilio minha carreira como publicitária em uma agência em São Paulo e sigo com o entrenós, promovendo rodas de conversa e workshops. Já tive a oportunidade de fazer encontros em São Paulo, Recife e até mesmo em Berlim, cidade onde vivi por um ano.

Em março, iniciei um curso de pós-graduação em Psicologia Transpessoal, onde um novo processo de desabrochar profissional se inicia. Em 2 anos, poderei atuar como Terapeuta Transpessoal e desejo fazer isso junto com o entrenós, indo além de encontros pontuais para mulheres, oferecendo acompanhamentos individuais ou em grupo a longo prazo, para que eu consiga exercer com todo amor e dedicação o meu propósito de ajudar pessoas a encontrar mais equilíbrio em suas vidas.

Eu aconselho o Amani para quem estiver nesse momento de se descobrir, de olhar para dentro e depois enxergar todo o seu melhor e entender como esse melhor pode ser passado para o mundo. Carrego comigo uma grande certeza: Todo mundo carrega um potencial transformador dentro de si. Só precisamos descobrir.

Saturday May 25th, 2019 by Jau Santoli

Related content