Construindo uma carreira de impacto na Formação de Impacto Social – Depoimento de Amanda Vitorino – Amani Institute

Blog

Construindo uma carreira de impacto na Formação de Impacto Social – Depoimento de Amanda Vitorino

Meu nome é Amanda, cheguei no Amani há pouco tempo, mas já conhecia e “namorava” o mesmo há algum tempo. Pra mim, essa vontade só se tornou possível por conta do programa de bolsas socioeconômicas que o Amani instituiu. Eu atuo em algumas causas, sou militante pelos direitos humanos, trabalhei no Centro Carlos Alberto Pazzini de Direitos Humanos, que é uma extensão da comunidade cultural Quilombaque, localizada na região de Perus, que atua na região Noroeste de São Paulo, principalmente com as causas indígenas no Pico do Jaraguá e na  ocupação de terras do movimento MST Anhanguera.

Além disso, me formei em Direito, mesmo apesar de já ter formação na área de Projetos Industriais, e na época atuava como co-gestora e coordenadora do núcleo de advocacy da  Rede Feminista de Juristas (Defemde). Ao mesmo tempo que estava cursando a faculdade de Direito, trabalhei na Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos, na Secretaria de Cultura de São Paulo e fiz a Formação em Impacto Social (FIS) do Amani Institute. Eu sou uma pessoa apaixonada pelo ser humano, eu acredito que todo mundo tem um propósito, e a minha busca pelo meu propósito foi potencializada dentro do Amani.

O Amani surge na minha vida com a Formação em Impacto Social como uma ótima oportunidade, pois tenho a inquietação de produzir algo que tenha valor. Eu olhei o meu emprego e não via mais valor no que fazia, e era muito difícil mudar de carreira, pois toda minha formação é focada na área  industrial.

Na Formação em Impacto Social, eu tive a chance de escolher uma organização parceira para ser consultora, chamada Gerando Falcões (GF); eu conhecia eles pelas redes sociais, mas nunca tinha acompanhado o trabalho de perto, apesar da sede do GF ficar perto do meu bairro: moro em Guaianazes, e a sede do Gerando Falcões fica em Poá. 

Comecei a pesquisar sobre a organização, li um livro do fundador Eduardo Lyra (@edulyra), e me envolvi no projeto. Nesse processo de imersão, descobri muitas coisas e me dediquei. Em umas das reuniões para conversar com o responsável dos projetos (Recomeçar), ele começou a falar sobre as dificuldades do projeto no qual ele trabalhava, e um desses desafios era aumentar a presença feminina do Gerando Falcões. 

Percebemos que tinham muitas mulheres trabalhando, mas poucas mulheres participando das atividades oferecidas pelo Gerando Falcões. Nessa conversa, pensamos possíveis soluções para o problema, e durante este processo fui convidada para trabalhar com eles,  achou que meu perfil era apropriado para estruturar o eixo de educação de um projeto específico e me incorporei na equipe da Gerando Falcões. 

Atualmente, decidi que eu quero mesmo promover essa mudança no setor público ou agregar mais valores no setor privado, por isso tô focando mais em atividades relacionadas com o Advocacy e tenho investido em formações de governança corporativa e compliance cultural.

Me afastei um pouco de algumas atividades voluntárias nesse período de pandemia (para preservar minha saúde mental), mas tenho desenvolvido formações através da Comissão de Graduação, Pós- Graduação e Pesquisa da OAB/SP, onde meu principal objetivo tem sido construir um diálogo interdisciplinar e inteseccional na esperança de que os novos e futuros profissionais do Direito encontrem diferentes formas de agregar valor em suas ações, algo que eu descobri na Formação em Impacto Social do Amani Institute.
——————————————————————————————————————-Depoimento gentilmente cedido por Amanda Vitorino para a equipe do Amani Institute.
A próxima turma da Formação em Impacto Social online começa no dia 19 de agosto, mais informações e inscrições aqui

Friday, der 5. July 2019 por Jau Santoli
, ,

Related content