A Jornada Interna

Quando perguntados sobre os atributos de bons e maus funcionários, praticamente todas as respostas em nosso estudo diziam respeito a traços de características pessoais do que de habilidades específicas.
'Então, para os empregadores, quem uma pessoa é e como ela age é pelo menos tão importante quanto o que elas sabem e conseguem fazer'. Não é por acaso que quase todo treinamento sobre liderança começa com "liderando a si mesmo".

Como a pessoa importa tanto quanto suas habilidades, a educação para agentes de mudança deve ter seu foco de acordo com isso. Oportunidades para desenvolvimento pessoal, desenvolvimento de empatia, e fluência intercultural são importantes para programas de aprendizado para adultos.

Adicionalmente, o trabalho de mudança social é difícil. A demanda é na pessoa como um todo, e não somente no eu profissional de “9 às 5”. Essa informação dos empregadores, combinada com conselhos advindos dos mais bem sucedidos líderes de mudanças sociais nos levou à convicção que precisamos ajudar os futuros líderes a começar uma conversa de longo prazo com eles mesmos – para entender a jornada na qual se encontram, se liderarem, comunicar de maneira efetiva e ser resilientes no longo prazo. Os insights, habilidades e ferramentas que nos ajudam a ser nosso próprio líder e a ter empatia com os outros são tão importantes quanto habilidades profissionais de gestão e execução quando falamos da criação de impacto social.

image

STANFORD SOCIAL INNOVATION REVIEW

The Inner Journey of the Changemaker

Como lidamos com nós mesmos e temos empatia pelos outros é tão importante quanto habilidades profissionais de gestão quando falamos da criação de impacto social.

LEIA O ARTIGO COMPLETO
Testimonial
A combinação de inovação social e a jornada interna foi um grande diferencial do Amani quando comparado com outros programas. A Jornada Interna foi um processo profundo e estruturado no qual eu percebi o que estava me impedindo de tirar meu projeto do papel. Aprendi que o que eu considerava minha fraqueza era, na verdade, uma força! Descobri uma nova forma de enxergar a mim mesma, o que, ao mesmo tempo, me faz ter mais empatia pelos outros. RENATA MENDES Brasil, Classe 1 
Próximo

Nossa Rede >